PortuguÍs BR Deutsch English Espanhol
Notícias

(Re)floresta: Um ano de compromisso com a natureza e o clima



Com o compromisso de atuar na minimiza√ß√£o do impacto ambiental e na mitiga√ß√£o das mudan√ßas clim√°ticas, o PAF (Re)floresta, √Āgua e Carbono completou um ano de a√ß√Ķes no territ√≥rio de Rio Claro (RJ). Realizado pela AGEVAP e financiado pelo Comit√™ Guandu e Programa Petrobras Socioambiental, o projeto contribui para o enfrentamento desse desafio global por meio de um trabalho interconectado entre a√ß√Ķes de reflorestamento, educa√ß√£o ambiental, pesquisa cientifica e articula√ß√£o territorial socioambiental. Na busca pela restaura√ß√£o florestal, o projeto promove n√£o apenas a√ß√Ķes de plantio de √°rvores, mas tamb√©m o fortalecimento das comunidades locais por meio de capacita√ß√Ķes.

"Reconhecemos que para reflorestar com sucesso, precisamos trabalhar de m√£os dadas com as pessoas, compartilhando conhecimento e promovendo boas pr√°ticas agr√≠colas. No (Re)floresta, a restaura√ß√£o florestal n√£o √© apenas um ato, mas uma jornada que abra√ßa as dimens√Ķes sociais, ambientais e cient√≠ficas", disse a Maria Affonso Penna, que atua na Restaura√ß√£o Florestal do projeto.

Quanto as a√ß√Ķes de restaura√ß√£o florestal, o projeto j√° alcan√ßou 35% das a√ß√Ķes previstas, ou seja, 15.73 hectares dos 45 provenientes das propriedades rurais do munic√≠pio participantes do projeto, receberam as a√ß√Ķes. S√£o elas: 2,84 hectares no S√≠tio Lago Azul; 0,40 hectares no Loteamento Fazenda Grama; 0,37 hectares no S√≠tio Inhoramas; e 10,74 hectares na Fazenda Sert√£o do Proc√≥pio. Ao longo deste ano, foram plantadas 5.644 mudas, com um plano de atingir 31.873 mudas no total. Al√©m do plantio direto, s√£o realizadas t√©cnicas de semeadura de jussara, cercamento de √°reas para regenera√ß√£o e enriquecimento.

Os servi√ßos de restaura√ß√£o florestal est√£o sendo realizados pela Ecovale Consultoria Agroambiental, empresa contratada para realiza√ß√£o das a√ß√Ķes. O recurso utilizado para essa contrata√ß√£o √© proveniente da cobran√ßa pelo uso da √°gua e foi destinado para essa finalidade gra√ßas ao Comit√™ Guandu, que √© o ente do Sistema de Gerenciamento de Recursos H√≠dricos respons√°vel por deliberar sobre como esses recursos ser√£o investidos.

Uma parte crucial do (Re)floresta √© a sua articula√ß√£o territorial socioambiental. Em colabora√ß√£o com o Quilombo do Alto da Serra do Mar, o projeto realizou uma s√©rie de atividades para estreitar la√ßos com a comunidade e obter informa√ß√Ķes socioecon√īmicas, hist√≥ricas e ambientais. Essas informa√ß√Ķes culminaram na elabora√ß√£o de um Diagn√≥stico de Potencialidades do Quilombo, e embasaram a escolha das capacita√ß√Ķes que acontecer√£o na comunidade. Essa iniciativa envolveu n√£o apenas a comunidade, mas tamb√©m entidades como o Centro de Refer√™ncia de Assist√™ncia Social (CRAS), a Secretaria de Educa√ß√£o e Cultura, profissionais que j√° atuaram diretamente com o Quilombo e a comunidade do entorno. Al√©m disso, o (Re)floresta se comprometeu com a educa√ß√£o ambiental, impactando 262 pessoas em duas escolas municipais por meio de quatro atividades com a comunidade escolar e o p√ļblico geral.

O projeto também doou 100 mudas para promover a conscientização, conhecimento e sensibilização sobre a nossa relação com o ambiente. Tudo isso realizado em parceria com a rede municipal de educação de Rio Claro e promovendo planos para futuros trabalhos educacionais.

O projeto ainda conta com a pesquisa intitulada o "Impacto da restaura√ß√£o florestal no estoque de carbono do solo". Desenvolvido pelo Laborat√≥rio de Estudo das Rela√ß√Ķes Solo-Planta (LSP), do Departamento de Solos do Instituto de Agronomia da Universidade Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e coordenado pelo professor Everaldo Zonta, a pesquisa tem o objetivo de investigar o impacto da restaura√ß√£o florestal no estoque de carbono do solo, a partir do estudo de √°reas contempladas pelo Programa PAF na regi√£o de Rio Claro. Foram selecionadas 17 √°reas para realiza√ß√£o da amostragem do solo, englobando √°reas reflorestadas pelo PAF, fragmentos de mata nativa e pastagens degradadas.

"Estamos realizando a coleta de amostras de solo em diferentes profundidades para estimativa do conte√ļdo de carbono. Adicionalmente √†s √°reas reflorestadas, ser√£o amostradas tamb√©m fragmentos de floresta nativa e √°reas de pastagem degradada", disse a pesquisadora da UFRRJ, Vanessa Gomes, que ainda cita que os solos podem estocar de duas a tr√™s vezes mais carbono que a atmosfera, destacando a import√Ęncia de identificar como o carbono √© acumulado no solo ao longo do processo de restaura√ß√£o florestal.

A respeito da quest√£o do sequestro de carbono, o projeto "(Re)Floresta est√° desempenhando um papel crucial ao empregar o sensoriamento remoto na quantifica√ß√£o do sequestro de carbono em iniciativas de restaura√ß√£o florestal realizadas no √Ęmbito do Programa Produtores de √Āgua e Floresta, em Rio Claro (RJ).

Segundo Pedro Rajão, engenheiro florestal que atua no projeto, a metodologia proposta tem demonstrado eficiência, especialmente com a utilização de imagens de satélite do sistema Sentinel-2, o que representa um avanço significativo na estimativa de carbono. "A adoção do sensoriamento remoto como meio para estimar a adicionalidade no sequestro de carbono revela-se uma prática acessível e de fácil replicação. Essa abordagem não só torna a restauração florestal mais mensurável, mas também possui o potencial de contribuir de maneira significativa para a expansão do mercado de carbono. Além disso, ela abre portas para a quantificação de outros processos ecossistêmicos", disse.

Com a√ß√Ķes previstas at√© o segundo semestre de 2024, o PAF (RE) Floresta ainda destaca a import√Ęncia dos propriet√°rios rurais na realiza√ß√£o desse projeto. Eles desempenham um papel fundamental na conserva√ß√£o e recupera√ß√£o de nossos recursos naturais. A restaura√ß√£o florestal n√£o apenas beneficia o meio ambiente, mas tamb√©m pode melhorar a qualidade da √°gua e valorizar suas terras.

Outras Notícias

Mais Notícias »